02/01 – A primeira experiência de temor

Leia Gênesis 3:6-10. É difícil relacionar o primeiro encontro de Adão e Eva com o temor, porque nenhum de nós pode se lembrar da primeira vez em que experimentou essa emoção. Os psicólogos de desenvolvimento confirmam que, desde os primeiros anos de vida, as crianças enfrentam temores definidos, principalmente de ter fome e de ruídos agudos. Crianças e adolescentes em crescimento também passam por uma variedade de temores: medo de animais, de escuro, de estar sozinhos; medo de situações relacionadas à escola, separação dos pais, medo de não crescer ou de ser rejeitados pelos colegas. Os adultos também estão sujeitos a apreensões comuns associadas às circunstâncias da vida: medo de não encontrar um parceiro satisfatório para a vida, de não encontrar o emprego certo, de ataques terroristas, de contrair uma doença crônica ou fatal, de ser assaltado, de Leia mais…

01/01 – Sábado a Tarde

Ansiedade

LIÇÃO 02 - Provisão divina para a ansiedade

Ano Bíblico: Gn 1–3

Verso para Memorizar: “Lancem sobre Ele toda a sua ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês” (1Pe 5:7, NVI).

Leituras da semana: Gn 3:6-10; 15:1-3; Jo 14:1, 2; Mt 6:25-34; 18:3; Fp 4:11, 12

As Escrituras estão cheias de versículos que contêm palavras como medo, ansiedade, queixas, susto e terror. Muitas referências mencionam com que as pessoas estão ansiosas e temerosas; outras, com promessas de certeza divina aos que estão com medo ou ansiosos. A mensagem “Não temam” atravessa as Escrituras com força e Leia mais…

10/09 – Estudo Adicional

10, setembro, 2010 Sem comentários
Leia Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 77-79: “Perante o Sinédrio”; p. 112-114: “De Perseguidor a Discípulo”; p. 474, 475: “Carta de Roma”; Evangelismo, p. 573-577: “A Verdade Ilustrada Atrai os Católicos”; Mensagens Escolhidas, v, 1, p. 155, 156: “Que Pregar e que não Pregar”.
Não obstante haver Israel falhado como nação, havia entre eles um considerável remanescente em condições de ser salvo. Ao tempo do advento do Salvador, houve homens e mulheres fiéis que receberam com alegria a mensagem de João Batista, e foram assim levados a estudar de novo as profecias referentes ao Messias. Quando a igreja cristã primitiva foi fundada, ela era composta desses fiéis judeus que reconheceram Jesus de Nazaré como aquele cujo advento haviam almejado” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 376, 377). Leia mais…

09/09 – A salvação dos pecadores

9, setembro, 2010 Sem comentários
O amor de Paulo por seu povo é claramente aparente nestes versos. Como deve ter sido difícil para ele ver alguns de seus compatriotas lutando contra ele e contra a verdade do evangelho! Mas, em meio a tudo isso, ele ainda acreditava que muitos veriam Jesus como Messias.
7. Como Paulo mostra o amor de Deus, não só pelos judeus, mas por toda a humanidade? Como ele expressa o poder surpreendente e misterioso da graça de Deus? Rm 11:28-36
Nestes versos, embora faça um contraste entre judeus e gentios, um ponto é claro: A misericórdia, o amor e a graça de Deus são derramados sobre os pecadores. Desde antes da fundação do mundo, o plano de Deus era salvar a humanidade e usar outros seres humanos, e até nações, como instrumentos em Suas mãos para cumprir a vontade divina. Leia mais…

08/09 – Quarta – Um mistério revelado

8, setembro, 2010 Sem comentários
6. Que grande esperança tinha Paulo a respeito de seu povo? Rm 11:25-27
Por séculos, os cristãos têm discutido e debatido estes poucos versos. Mas alguns pontos estão claros. De início, todo o teor aqui é de que Deus tem interesse na salvação dos judeus. O que Paulo está declarando vem em resposta à pergunta suscitada no princípio do capítulo: “Terá Deus, porventura, rejeitado o Seu povo?” Sua resposta, evidentemente, é: Não! e sua explicação é (1) que a cegueira (grego porosis, dureza) é só “em parte” e (2) que é só temporária, “até que haja entrado a plenitude dos gentios”. Leia mais…

07/09 – Terça – O ramo enxertado

8, setembro, 2010 Sem comentários
4. Que grande esperança Paulo alimenta para os israelitas, tanto para os daquele tempo quanto para os de hoje? Rm 11:11-15
Nestes versos, encontramos duas expressões paralelas: (1) “a sua plenitude [dos israelitas]” (v. 12), e (2) “seu restabelecimento [dos israelitas]” (v. 15). Paulo pressentia que o declínio e a rejeição seriam apenas temporários; seriam seguidos por plenitude e aceitação. Esta é a segunda resposta de Paulo à pergunta suscitada no princípio deste capítulo: “Terá Deus… rejeitado o Seu povo?” O que parece ser uma rejeição, ele diz, é só uma situação temporária.

5. Em lugar do enfoque étnico, que outro critério usa Deus para determinar quem Lhe pertence? Rm 11:16-24
Leia mais…

06/09 – Segunda – A eleição da graça

8, setembro, 2010 Sem comentários

2. Que ensino comum esta passagem nega clara e inquestionavelmente? Rm 11:1-7. Que evidência dá Paulo de que Deus não rejeitou Seu povo?
Na primeira parte de sua resposta à pergunta: “Terá Deus, porventura, rejeitado o Seu povo?” Paulo aponta para um remanescente, uma eleição da graça, como prova de que Deus não rejeitou Seu povo. A salvação está aberta a todos os que a aceitarem, tanto judeus como gentios. Deve-se lembrar que os primeiros conversos ao cristianismo eram todos judeus – por exemplo, o grupo que foi convertido no dia de Pentecostes. Foram necessários uma visão e Leia mais…

05/09 – Domingo – O fim da lei

8, setembro, 2010 Sem comentários
1. Qual é a principal mensagem de Paulo em Romanos 10:1-4? Como corremos, hoje, o perigo de buscar estabelecer “nossa própria justiça”?
O legalismo pode vir em muitas formas, algumas mais sutis que outras. Os que olham a si mesmos, a suas boas ações, a sua alimentação, a sua estrita guarda do sábado, a todas as coisas más que não praticam, ou às boas coisas que alcançam – mesmo com as melhores das intenções – estão caindo na armadilha do legalismo. A cada momento de nossa vida, devemos manter diante de nós a santidade de Deus em contraste com nossa pecaminosidade. Esse é o caminho mais seguro para nos proteger do pensamento que leva as pessoas a buscar a “justiça própria”, que é contrária à justiça de Cristo. Leia mais…

04/09 – Sábado a Tarde

8, setembro, 2010 Sem comentários

Verso para Memorizar: “Pergunto, pois: terá Deus, porventura, rejeitado o Seu povo? De modo nenhum! Porque eu também sou israelita da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim” (Romanos 11:1).

Leituras da semana: Romanos 10, 11

A lição desta semana estuda Romanos 10 e 11, com ênfase especialmente no capítulo 11. É importante ler os dois capítulos inteiros a fim de continuar a seguir a linha de raciocínio de Paulo.

Estes dois capítulos foram e continuam sendo objeto de muita discussão. Mas um ponto está claro neles: o amor de Deus pela humanidade e Seu grande desejo de ver todos salvos. Não existe rejeição coletiva de ninguém para a salvação. Romanos 10 deixa muito claro que Leia mais…

30/08 – Segunda – Eleitos

Já fora dito a ela [Rebeca]: O mais velho será servo do mais moço. Como está escrito: Amei Jacó, porém Me aborreci de Esaú” (Rm 9:12, 13).
Como a introdução desta semana esclareceu, é impossível entender corretamente Romanos 9 até reconhecer que Paulo não está falando da salvação individual. Aqui, ele está falando dos papéis específicos que Deus estava chamando certos indivíduos a desempenhar. Deus quis que Jacó fosse o progenitor do povo que seria Seu agente evangelizador especial no mundo. Nesta passagem, não existe nenhuma indicação de que Esaú não poderia ser salvo. Deus queria que ele fosse salvo tanto quanto deseja que todos os homens o sejam. Leia mais…