10/09 – Estudo Adicional

Leia Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 77-79: “Perante o Sinédrio”; p. 112-114: “De Perseguidor a Discípulo”; p. 474, 475: “Carta de Roma”; Evangelismo, p. 573-577: “A Verdade Ilustrada Atrai os Católicos”; Mensagens Escolhidas, v, 1, p. 155, 156: “Que Pregar e que não Pregar”.
Não obstante haver Israel falhado como nação, havia entre eles um considerável remanescente em condições de ser salvo. Ao tempo do advento do Salvador, houve homens e mulheres fiéis que receberam com alegria a mensagem de João Batista, e foram assim levados a estudar de novo as profecias referentes ao Messias. Quando a igreja cristã primitiva foi fundada, ela era composta desses fiéis judeus que reconheceram Jesus de Nazaré como aquele cujo advento haviam almejado” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 376, 377).
“Há entre os judeus alguns que, como Saulo de Tarso, são poderosos nas Escrituras, e esses proclamarão com maravilhoso poder a imutabilidade da lei de Deus. O Deus de Israel fará que isto suceda em nossos dias. Seu braço não está encolhido para que não possa salvar. Ao trabalharem Seus servos em fé pelos que de muito têm sido negligenciados e desprezados, Sua salvação será revelada” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 381).
“Na proclamação final do evangelho, quando deve ser feito um trabalho especial pelas classes de pessoas até aqui negligenciadas, Deus espera que Seus mensageiros tomem interesse especial pelo povo judeu, o qual eles encontram em todas as partes da Terra. Ao serem as Escrituras do Antigo Testamento amalgamadas com as do Novo numa explanação do eterno propósito de Jeová, isto será para muitos judeus como o raiar de uma nova criação, a ressurreição da fé. Ao verem o Cristo da dispensação evangélica retratado nas páginas das Escrituras do Antigo Testamento, e perceberem quão claramente o Novo Testamento explica o Antigo, suas adormecidas faculdades despertarão, e eles reconhecerão Cristo como o Salvador do mundo. Muitos receberão Cristo pela fé como seu Redentor” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 381).
Pergunta para consideração
Nos últimos dias, quando a lei de Deus, e especialmente o sábado, entrar em destaque, não é razoável pensar que os judeus – muitos deles tão sérios a respeito dos Dez Mandamentos quanto os adventistas – terão uma parte em ajudar a esclarecer alguns assuntos perante o mundo? Afinal, no que se refere à guarda do sábado, em contraste com os judeus, os adventistas são “gente nova no pedaço”. Comente.

Leia Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 77-79: “Perante o Sinédrio”; p. 112-114: “De Perseguidor a Discípulo”; p. 474, 475: “Carta de Roma”; Evangelismo, p. 573-577: “A Verdade Ilustrada Atrai os Católicos”; Mensagens Escolhidas, v, 1, p. 155, 156: “Que Pregar e que não Pregar”. Não obstante haver Israel falhado como nação, havia entre eles um considerável remanescente em condições de ser salvo. Ao tempo do advento do Salvador, houve homens e mulheres fiéis que receberam com alegria a mensagem de João Batista, e foram assim levados a estudar de novo as profecias referentes ao Messias. Quando a igreja cristã primitiva foi fundada, ela era composta desses fiéis judeus que reconheceram Jesus de Nazaré como aquele cujo advento haviam almejado” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 376, 377).
“Há entre os judeus alguns que, como Saulo de Tarso, são poderosos nas Escrituras, e esses proclamarão com maravilhoso poder a imutabilidade da lei de Deus. O Deus de Israel fará que isto suceda em nossos dias. Seu braço não está encolhido para que não possa salvar. Ao trabalharem Seus servos em fé pelos que de muito têm sido negligenciados e desprezados, Sua salvação será revelada” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 381).
“Na proclamação final do evangelho, quando deve ser feito um trabalho especial pelas classes de pessoas até aqui negligenciadas, Deus espera que Seus mensageiros tomem interesse especial pelo povo judeu, o qual eles encontram em todas as partes da Terra. Ao serem as Escrituras do Antigo Testamento amalgamadas com as do Novo numa explanação do eterno propósito de Jeová, isto será para muitos judeus como o raiar de uma nova criação, a ressurreição da fé. Ao verem o Cristo da dispensação evangélica retratado nas páginas das Escrituras do Antigo Testamento, e perceberem quão claramente o Novo Testamento explica o Antigo, suas adormecidas faculdades despertarão, e eles reconhecerão Cristo como o Salvador do mundo. Muitos receberão Cristo pela fé como seu Redentor” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 381). Pergunta para consideração
Nos últimos dias, quando a lei de Deus, e especialmente o sábado, entrar em destaque, não é razoável pensar que os judeus – muitos deles tão sérios a respeito dos Dez Mandamentos quanto os adventistas – terão uma parte em ajudar a esclarecer alguns assuntos perante o mundo? Afinal, no que se refere à guarda do sábado, em contraste com os judeus, os adventistas são “gente nova no pedaço”. Comente.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. Nenhum trackback ainda.